O que é Guerra?

fevereiro 1, 2007


O que é guerra? Em resumo, é um grupo de pessoas usando de violência para se impor sobre outro grupo. Guerra é um espectro de conflito envolvendo milhares de variáveis. Tiroteio entre gangues locais está no limite inferior desse espectro, e no entanto esses confrontos matam centenas de americanos anualmente. No extremo superior estão nações planejando o controle do espaço sideral. Morte e destruição se distribuem por esse espectro. Por exemplo, um homem armado com um abridor de cartas pode se apoderar de um avião e arremesá-lo contra o Pentágono, matando pessoas ocupadas no planejamento de guerra nuclear em escala global. A missão dos militares é lutar através desse espectro de conflito.
Em anos recentes, tem se falado em uma ‘Revolução nos Assuntos Militares’. A idéia básica é que os avanços tecnológicos tornaram desnecessários exércitos maciços. Guerras poderiam ser travadas por um pequeno número de profissionais bem treinados equipados com armas e dispositivos de alta tecnologia coordenados através de ‘Guerra centrada em redes’. Outros afirmam que nós entramos na ’4ª geração’ da guerra, onde conflitos entre nações-estados não vão ocorrer: o combate será travado entre soldados de elite e grupos de extremistas tentando manipular a mídia para alcançar seus objetivos políticos. Alguns clamam que essa guerra de ’4ª geração’ foi concebida por Mao Tse-Tung a algumas décadas e se disseminou pelo mundo.
Esses argumentos são falhos. A História está repleta de conflitos entre aqueles que governam nações e pessoas que rejeitam esse governo. Todos os impérios enfrentaram contínuas rebeliões em que seus oponentes usaram as chamadas táticas de ’4ª geração’. As numerosas rebeliões dentro do Império Romano são bem documentadas. A palavra ‘guerrilha’ surgiu para denominar a luta da população espanhola contra os exércitos de Napoleão. Igualmente a Grã-Bretanha esteve continuamente suprimindo revoltas por todo o Império, incluindo uma notável rebelião em suas colônias americanas, contra ‘insurgentes’ liderados pelo ‘terrorista’ George Washington.
Exércitos convencionais tem se engajado em combates de ’4ª geração’ através da História. O termo terrorista foi usado para descrever o Viet Cong, em substituição ao termo mais antigo ‘anarquista’. Antes disso, a palavra ‘assassino’ foi usada desde o tempo das Cruzadas para descrever os fanáticos muçulmanos que cometiam ataques suicidas. Só na Rússia, cinco imperadores foram vítimas fatais de atentados em 200 anos. O mais notável assassinato na história norte-americana foi o do Presidente Abraham Lincoln. Três outros presidentes foram assassinados: James Garfield, William McKinley, e John F. Kennedy. Na Europa o assassinato do Arquiduque Franz Ferdinand detonou a Primeira Grande Guerra.
O desafio dos militares de hoje é lutar através de todo o espectro de conflito. Tecnologia é útil no combate a insurgentes, mas nunca será uma solução para o conflito humano. A nova idéia de Guerra centrada em redes é uma atualização ultra-dispendiosa do velho conceito soviético de centralização do planejamento e controle, exigindo bilhões de dólares em avançados sistemas C4 (comando , controle, comunicação e computação). Distribuição de informação é uma boa idéia, mas o resultado da centralização costuma ser o microgerenciamento por oficiais superiores sem experiência de combate e distantes do local das ações. Sistemas complexos de comando computadorizados requerem tremendo suporte logístico, são sujeitos a falhas, a ataques físicos ou virtuais e possuem ‘características’ que podem ser exploradas pelo inimigo.
O perigo atual para as forças armadas dos EUA é o dreno de recursos causado pela ocupação do Iraque. Guerras futuras no médio e no alto do espectro de conflitos são inevitáveis, visto que a liderança americana está comprometida com a supremacia militar mundial.
O nível atual dos gastos militares americanos é insustentável dada a alta da inflação resultante do aumento de 40% em 5 anos nos gastos federais. A alternativa do governo é entre o corte dos gastos militares ou o aumento dos impostos.

Enquanto isso, o generoso orçamento militar é desperdiçado no Iraque e na compra de material caro e de eficiência duvidosa. A Marinha parece incapaz de desenhar e construir novos tipos de navios, enquanto o Corpo de Fuzileiros gasta bilhões de dólares no azarado programa V-22. A USAF luta para colocar novos tipos de aeronaves em serviço enquanto o Exército não tem planos para novos equipamentos e direciona sua verba para a pesquisa do chamado “Future Combat System”.
Estamos diante de um declínio econômico e militar americano num momento em que nações como China, Coréia do Sul e Índia avançam rapidamente. A ocupação do Iraque piora o problema, com equipamento militar mal utilizado e o treinamento focado em armadilhas explosivas nas estradas, buscas casa a casa e escolta de comboios.
As Forças Armadas americanas podem estar numa espiral descendente, conduzindo a um futuro revés militar, quando os EUA tiverem de lutar no extremo superior do espectro de conflito.
Combater ‘assassinos, anarquistas, terroristas e extremistas’ é pouco mais que um esporte; um confronto de maior envergadura no futuro será algo completamente diferente.

(Prefácio do livro ‘The Spectrum of Future Warfare’, de Carlton Meyer, ex-oficial do US Marine Corps e responsável pelo site www.g2mil.com)

About these ads

3 Respostas to “O que é Guerra?”

  1. Maristella Marquesinie Diz:

    Adorei …

    Saber um poko sobre a histfhjbm


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: