PERGUNTE A QUALQUER MARINE…

fevereiro 18, 2007

Pergunte a um Marine o que é tão especial no Corpo de Fuzileiros e a resposta será: “esprit de corps”, uma inútil expressão francesa que significa exatamente o que parece: o Espírito da Corporação. Mas o que é esse espírito, e de onde ele vem?
O Corpo de Fuzileiros é o único ramo das Forças Armadas americanas que recruta pessoas especificamente para lutar. O Exército enfatiza o desenvolvimento pessoal, a Marinha promete diversão (“deixe a Viagem começar!”), e a Força Aérea oferece segurança (“é um grande Estilo de Vida”). Escondido por baixo de toda essa propaganda de recrutamento, esconde-se o fato que a vida de um soldado comporta muito sofrimento e a possibilidade real de morrer e matar. Até a música temática dos serviços reflete essa evasão da realidade. A Canção “Caisson” do Exército descreve um agradável passeio pelo campo, por vales e montanhas: só falta uma cesta de piquenique! “Anchors Aweigh”, a Marinha celebra as alegrias de navegar. O Hino da Força Aérea é um poema lírico sobre céus azuis e potência de motores. Tudo muito alegre, revigorante e seguro. Sem minas nos vales nem franco-atiradores nas colinas, sem submarinos e mísseis ameaçando seu cruzeiro oceânico, sem bandidos espreitando além no selvagem céu azul.
O Hino dos Marines, em contraste, é puro combate. Nós lutamos as batalhas do nosso país, os primeiros a lutar pelo direito e liberdade, nós lutamos em qualquer clima e lugar…
A escolha é deixada clara. Você pode se juntar ao Exército para treinamento, ou ir para Bangkok por conta da Marinha, ou fazer um curso de Informática pela Força Aérea. Você engaja nos Marines para ir à guerra.
Mas o simples fato de se alistar não significa nada no Corpo. O recruta do Exército é avisado no primeiro minuto em que ele veste seu uniforme que “você está no Exército agora, soldado. Marinha e Força Aérea encaminham seus recrutas direto do ônibus para o centro de treinamento. Os recém-chegados ao “boot camp” dos Marines são chamados de recrutas, praças, ou pior (muito pior!), mas nunca de Marines. Não ainda, talvez nunca. Ele ou ela deve conquistar o direito de ser chamado por esse título: qualquer falha te mandará de volta á vida civil sem hesitação ou cerimônia.
História? Pare um soldado na rua e pergunte o nome de uma batalha da Primeira Guerra Mundial. Escolha um marinheiro ao acaso para descrever a luta épica do Bon Homme Richard. Todos conhecem a Base Aérea McGuire, pergunte a um aviador que foi Thomas B. McGuire e porque ele é tão celebrado. Eu não estou criticando e não há zombaria nessa crítica. Todos os serviços tem tradições gloriosas, mas nenhum ensina ao jovem soldado, marujo ou aviador o que o seu uniforme significa e porque ele deve se orgulhar em vesti-lo.
Mas pergunte a um Marine sobre a Primeira Guerra Mundial, e você ouvirá sobre o campo de trigo da Floresta Belleau e da coragem da Quarta Brigada de Fuzileiros. Enfrentando um inimigo em superioridade numérica e bem entrincheirado, os Fuzileiros receberam ordens para um ataque que não poderia sequer ser chamado de imprudente: era insano! Suporte de artilharia não havia, apoio aéreo ainda não havia sido inventado, e assim a Brigada carregou contra as metralhadoras alemãs com baionetas, granadas e indomável Espírito de Luta!
Um baixinho de pernas tortas, sargento-artilheiro Daniel J. Daly, comandou sua companhia com um grito:
“VAMOS LÁ, SEUS FILHOS DA PUTA! VOCÊS QUEREM VIVER PARA SEMPRE?”
Ele tomou sozinho três metralhadoras, e só não lhe deram a Medalha de Honra por um pequeno detalhe: ele já tinha duas delas…
Os oficiais de ligação franceses, endurecidos por quatro anos de carnificina nas trincheiras, ficaram chocados com a carga dos Marines por um trigal aberto, com sol a pino e direto na direção do fogo inimigo!
Uma ação tão anacrônica num campo de batalha do século XX que eles poderiam muito bem ter atacado com machadinhas e sabres de abordagem!
Mas o inimigo era apenas humano, e foi demais para ele. E assim os Marines tomaram a Floresta Belleau.
Cada Marine conhece essa história, e dúzias mais. É parte do currículo regular no Campo das Botas. Cada Marine sempre será ensinado sobre isso.
Você pode aprender a usar uma máscara de gases o tempo todo, mesmo num avião a caminho da zona de guerra, mas antes de usar o emblema e ter direito ao título de Marine você deve saber sobre os Marines que o usaram antes de você, que fizeram desse emblema e título o que ele é. Além de marchar e atirar e reverenciar a herança do Corpo, você deve tomar seu lugar na Linha.
E a Linha é tão unificada em Espírito quanto em Propósito. Um soldado usa as insígnias do serviço, as divisas e patches que identificam sua unidade. Marinheiros usam o distintivo que identifica o que eles fazem ou fizeram pela Marinha. Marines usam apenas a Águia, o Globo e a Âncora, juntamente com suas fitas pessoais e os estimados distintivos de perícia em tiro. Não há nada no uniforme de um Marine que indique o que ele ou ela faz, nem (exceto pelo 5º e 6º Regimentos, que usam um distintivo francês por Belleau) a que unidade um Marine pertence. Você não pode dizer olhando para um Marine se ele é motorista de caminhão, programador de computadores ou artilheiro. O Corpo justifica isso como medida de segurança para camuflar e esconder a identidade e localização das unidades, mas a propensão do Corpo por publicidade faz dessa explicação no mínimo bem improvável.
Não, o Marine é amorfo, anônimo (nomes nos uniformes só foram adotados em 1992), por escolha consciente. Cada Marine é um Fuzileiro em primeiro e último lugar, e principalmente membro do Corpo em primeiro, último lugar e sempre. Você pode servir seu período de quatro anos de alistamento ou até se aposentar com vinte anos de serviço sem ver ação, mas se a ordem for dada, você carregará através daquele campo de trigo.
O fato de um Marine ser treinado em Logística, mecânica de motores ou aviônicos é irrelevante. Essas coisas são secundárias – o Corpo as faz por necessidade. O campo de batalha moderno requer habilidades técnicas, e como o inimigo as tem, nós as temos também.
Mas nenhum Marine se orgulha disso. Nosso forte é nossa pontaria, nossa disciplina, e nossa participação numa fraternidade de coragem e sacrifício.
“Em honra aos caidos, pela glória dos mortos”, Edgar Guest escreveu na Floresta Belleau, “a Linha Viva da Coragem mantém a Fé e segue em frente.”
Todos eles já se foram agora, aqueles Marines que fizeram de um pequeno campo de trigo numa fazenda francesa uma lenda do Corpo. Muitos deles não viram o fim daquele dia, e oito longas décadas levaram o restante. Mas os seus atos os fizeram imortais. O Corpo se lembra deles e honra o que eles fizeram, e assim eles viverão para sempre.
O desafio gritado por Dan Daly toma aqui seu verdadeiro significado: se você se esconder nas trincheiras você sobreviverá por enquanto, mas morrerá um dia, e quem irá ligar? Se você carregar contra as metralhadoras talvez esteja morto no minuto seguinte, mas se tornará um dos Imortais.
Todos os Marines morrem, no clarão rubro da batalha ou no frio gelado de um asilo. No vigor da juventude ou na debilidade da idade todos irão inevitavelmente morrer, mas o Corpo vive. Cada Marine que viveu algum dia ainda vive nele, nos Marines que ostentam o título hoje.
É esse senso de pertencer a alguma coisa que ultrapassa a sua própria mortalidade que dá às pessoas uma Luz por qual viver e uma Chama para marcar sua passagem pela Terra.
Os Marines chamam isso de “esprit de corps”.
(do Manual FMFM1-WARFIGHTING, US MARINE CORPS, 1989)

7 Respostas to “PERGUNTE A QUALQUER MARINE…”

  1. welerson Says:

    quero ser um marines como faço pra me alistar?

  2. Alessandro Rodrigues Dias Says:

    Qual é a idade minima e massima para ser torna um marines

  3. bruno lobato abranches Says:

    ola,gostaria de saber como posso faze para me alistar,tenho 30 anos,fui fuzileiro naval no brasil durante dez anos,dois anos legionário francês,estive no afeganistão,gostaria de saber sobre época,endereço,site,tudo pois pretendo me alistar ainda este ano,desde já agradeço a atenção e espero resposta

    • mario silva Says:

      cara voce ja esteve na legiao? eu gostava de saber como foi a sua experiência la na legiao…e eu ainda tenho uma prima em estados unidos e ela me esta vendo tudo para eu entrar nos fuzileiros os marines. add mario.djcds@hotmail.com para falar melhor

  4. joe Says:

    gostaria de saber como no marines obrgadopra me alista

  5. joe Says:

    oi como faco pra me alistar no marines moro no brasil e possivel,se alistar. caso alguem souber me avise meu imail esta ai


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: